Análise: Dynasty Warriors 9 Empires

O mais famoso hack and slash da Koei Tecmo está de volta e consegue manter-se forte décadas depois do primeiro jogo da série. A fórmula tem sido melhorada e refinada ao longo dos anos e dos vários jogos principais da série e incontáveis spin-offs. No entanto, a jogabilidade da série e das suas expansões conseguiu-se manter mais ou menos familiar, mesmo na variante Empires, a variante mais focada em estratégia. Empires não modifica muito a jogabilidade característica de Dynasty Warriors, já que também aqui o jogador terá de ir para a batalha contra centenas de inimigos. Mas fora da batalha, o objetivo é unificar a China usando diplomacia e batalhas de cerco.

Entre fortalecer as nossas forças, resolver alguns assuntos domésticos ou fazer alianças com outras nações, Empires é diferente de Dynasty Warriors 9, mas nunca consegue ser verdadeiramente surpreendente. Se nunca jogaram um jogo da série este não é o jogo que vos irá cativar a entrar na série e se já jogaram um Dynasty Warriors antes, Dynasty Warriors 9 Empires irá parecer tão familiar como qualquer outra entrada da série, mesmo com esta camada de jogo de estratégia à mistura.

Tal como os restantes jogos da série também este Dynasty Warriors 9 Empires vai beber inspiração no romance do século XIV de Luo Guanzhong, Romance dos Três Reinos. Existem oito campanhas no Modo Conquista baseadas em eventos históricos. Também podemos misturar personagens dessas épocas numa campanha especial. Qualquer que seja a linha do tempo que o jogador escolher, o seu objetivo é unificar a China. Durante a campanha podemos escolher entre 90 oficiais, cada um baseado em figuras históricas. Cada uma destas personagens vem com diferentes patentes. Podem também criar personagens de raiz mas pessoalmente gosto de escolher personagens reais. As personagens têm papeis diferentes e precisamos de alguns específicos como o Governador para por exemplo declarar guerra.

A campanha em si começa ao definir um objetivo, já que Dynasty Warriors 9 Empires não é tão simples como escolher contra quem combater de seguida no mapa. O conselho de guerra apresenta ao jogador decisões a fazer e estas obedecem a quatro tópicos, assuntos domésticos, assuntos humanos, diplomacia e assuntos militares. Assim que fizermos uma escolha temos seis meses de tempo de jogo para executar esses planos. Depois disso, voltamos ao conselho de guerra para definir um novo objetivo. Além disso não podemos simplesmente invadir as terras dos nossos inimigos, temos de nos preocupar com coisas tão simples como se as tropas têm comida suficiente para a campanha.

É portanto necessário organizar o desenvolvimento comercial e agrícola do império, assim como as campanhas de recrutamento e criar alianças para colmatar lacunas do império. Este é um jogo de paciência e existe uma profundidade que não existe normalmente em jogos da série. Também podemos passear pelo mundo aberto, embora comparado ao jogo principal não exista muito para fazer. As missões secundárias do jogo principal não existem e a exploração existe apenas para recrutar soldados, algo que parece mesmo muito pouco. Ao fim dos tais seis meses de tempo de jogo podemos finalmente invadir, mas não sem antes tentar criar algumas condições especiais que joguem ao nosso favor, como organizar reforços ou criar condições climáticas adversas para prejudicar o exército inimigo.

Dynasty Warriors 9 Empires tem várias diferenças com o Dynasty Warriors 9 da série principal e uma das principais diferenças é que as batalhas são baseadas em cercos de castelos. O objetivo é usar armas de cerco para romper os portões do castelo inimigo e uma vez lá dentro entramos num duelo com o comandante inimigo. Ao defender, as posições são invertidas. Como disse acima este é um jogo de paciência e este tem uma profundidade superior ao normal da série. Atacar descontroladamente pode ter sucesso mas abordar tudo com alguma preparação e estratégia é bem mais eficaz. Infelizmente, o combate acaba por ser demasiado semelhante a todos os outros jogos da série e com isso acaba por sofrer das mesmas falhas que os restantes jogos também. O combate é realmente gratificante mas ao contrário dos restantes sistemas do jogo, que oferece alguma camada de complexidade, o combate é bastante superficial. No entanto ainda há algo profundamente satisfatório no combate, mesmo após tantos anos do jogo original.

Tudo até aqui parece relativamente positivo, no entanto Dynasty Warriors 9 Empires sofre de algumas falhas graves. Para dizer a verdade não existem muito conteúdo no jogo. Tudo parece muito superficial e algumas áreas estão simplesmente vazias. Tecnicamente também não é propriamente um exemplo. Existe tearing bastante visível e a estabilidade da framerate não é perfeita, especialmente nas cutscenes. Apesar destes problemas, se são fãs de Dynasty Warriors e gostam de jogos de estratégia, Dynasty Warriors 9 Empires pode ser uma excelente proposta.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster