Antevisão: Achilles: Legends Untold

Achilles: Legends Untold é um daqueles jogos que parece aparecer do nada e nos deixa entusiasmados com um trailer e algumas imagens. Nem sempre esse entusiasmo é justificado pelo jogo em si, no entanto Achilles: Legends Untold faz bastantes coisas bem e o facto de ainda se encontrar em acesso antecipado acaba por desculpar algumas das coisas que faz menos bem.

Aqui jogamos como Aquiles, o guerreiro da mitologia grega e considerado um dos melhores do exército grego. Aquiles está no meio de uma guerra de séculos entre Hades e Ares, e é enviado para matar Phobos, filho de Ares. A história é o normal de um conto de contornos mitológicos e não é propriamente essencial. Não é horrível ao ponto de aconselhar simplesmente ignorar tudo, mas se por não prestarem atenção aqui e ali não irão ter grandes problemas. O foco do jogo é o combate e exploração. O combate é viciante e difícil, exigindo paciência para derrubar até os inimigos mais comuns.

Simplesmente martelar a tecla de ataque não funciona aqui. A resistência está diretamente ligada aos nossos ataques, criando momentos onde por atacarmos demasiado ficamos expostos. Achilles: Legends Untold pune o jogador por usar um combo num inimigo preparado para atacar porque assim que o combo terminar ficamos à mercê do ataque inimigo. Temos também uma habilidade de arremesso de escudo e que é útil para manter alguma distância dos inimigos.

As lutas contra bosses são assustadoras e desgastantes. Enquanto que na maioria dos jogos do género estas batalhas são épicas e momentos de ação frenética, aqui apesar de não deixarem de ser épicas, são batalhas onde temos de manter níveis de atenção tremendos. Existem algumas destas batalhas onde quase todo o tempo é gasto a evitar ataques, o que faz com que na sua essência Achilles: Legends Untold pareça quase um jogo Souls. A gestão de armas, melhorias de equipamentos e a adição de uma árvore de habilidades mais comum diminuem a complexidade relativamente a um Souls, mas existem bem mais elementos que os unem do que os separam. Achilles: Legends Untold oferece muitos caminhos fora do comum que nos oferecem recompensas e outros itens em troca do tempo que gastamos em exploração e aventuras não principais.

Semelhante a outros jogos do tipo Souls as almas têm uma capacidade limitada, o que torna a morte ainda mais brutal. Os Shrines não são tão frequentes como em outros jogos do tipo Souls e portanto sempre que temos uma boa quantidade vamos ficando mais nervosos, como se transportássemos uma carga preciosa. A exploração é empolgante, dado o fato de que há muitos recursos úteis disponíveis, bem como o fato de que as áreas serem variadas e muito bonitas. Infelizmente, Achilles: Legends Untold não é perfeito. O combate é pesado e emocionante, mas tem vários problemas neste momento em coisas como as hitboxes dos inimigos e existem questões de equilíbrio que acredito precisarem de ajustes. As almas é algo que me incomoda particularmente, já que parece que perdemos demasiado quando morremos. Não existem Shrines suficientes e parece que recebemos sempre poucas dos inimigos que derrotamos.

Achilles: Legends Untold não deixa de ser um jogo promissor que traz algumas ideias interessantes ao género, sendo um jogo que consegue equilibrar mecânicas de vários géneros diferentes.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster