Análise: Loot River

Não sei quem achou que Tetris e um roguelike podiam juntar-se para criar um conceito satisfatório, mas não podia estar mais..certo. Loot River é o fruto desta estranha união e este jogo é interessante. A jogabilidade pode parecer realmente estranha, mas depois de percebermos como estas duas jogabilidades funcionam em conjunto, a ação torna-se suave e viciante. Os jogadores precisam primeiro de assimilar a ideia de que vão morrer muito neste jogo e como em qualquer roguelike, morrer vai enviar-nos de volta ao início, mas a jogabilidade e a arte fantástica do jogo fazem com que isto não pareça um castigo.

Visualmente o jogo é fantástico. Pode parecer mais um jogo em pixel art, mas existem jogos com estilos de pixel art completamente banais e parecem vir todos do mesmo banco de imagens. Felizmente Loot River tem um estilo único que o ajuda a destacar-se. É muito importante que um jogo consiga ter o poder de fazer os jogadores olhar para uma imagem e identificarem o jogo e Loot River tem essa capacidade. Mas não é de todo o visual do jogo que o torna tão bom, ajuda, mas não é o seu factor mais impressionante.

A jogabilidade de Loot River é verdadeiramente aquilo que torna o jogo tão bom. Ir de um lugar para outro exisge que o jogador move as plataformas que são iguais às de Tetris. O jogador faz isso com o analógico direito enquanto controla a sua personagem com o esquerdo. Navegar por corredores estreitos e arenas cheias de plataformas não é de todo fácil no início, mas depois de alguns momentos de adaptação aos controlos, tudo se torna bastante intuitivo e a curva de dificuldade acaba por ser bastante mais ligeira do que eu pensava ser. Os labirintos de blocos gerados processualmente nunca são os mesmos duas vezes, e os designers também fizeram aqui um ótimo trabalho para garantir que cada nível ofereça um desafio único.

As plataformas em camadas trazem vários tipos de desafios. Desde inimigos com habilidades inesperadas, até perigos ambientais. A mecânica de movimento incomum funciona perfeitamente com a jogabildade de Loot River. Atacar no momento certo, acertando no timing entre o movimento das plataformas e o uso de um ataque carregado por exemplo, pode ser um movimento perfeito para ter sucesso no jogo. O combate de Loot River e o design do movimento que funciona como um puzzle são ambos construídos numa base roguelike. Ter sucesso no jogo não é o normal, é aquilo que acontecer de tempos a tempos. Isto é uma ideia que temos de ter em mente e que os jogadores habituados ao género vão reconhecer com facilidade. Quando morremos, tudo recomeça no primeiro nível, com a maioria das melhorias que conquistámos a desaparecerem.

Ocasionalmente recebemos conhecimento, uma espécie de moeda, que podemos trocar por melhores equipamentos. Não podemos usar esta moeda para melhorar as estatísticas da nossa personagem, mas isto já é uma ajuda. O nível da nossa personagem depende inteiramente do número de inimigos derrotados numa corrida e normalmente todas as estatísticas voltam aos níveis iniciais após a morte. Quem conhece o género sabe que é bastante gratificante quando temos alguma sorte durante uma corrida e encontramos um item que muda tudo e quando conseguimos um ou dois e ficamos super poderosos então é simplesmente fantástico. É este loop de jogabilidade que funciona tão bem no género e aqui funciona na perfeição.

O ambiente brilhante, a narrativa é intrigante e a jogabilidade viciante fazem de Loot River um jogo praticamente obrigatório para quem gosta do género. Desbloquear tudo, desvendar segredos e acompanhar a história são tudo elementos bem conseguidos. A forma como mistura dois elementos tão diferentes deixa-nos surpreendidos e dificilmente poderia imaginar a qualidade de Loot River lendo apenas a descrição. Se gostam de roguelikes Loot River destaca-se e mostra que o género está longe de acabado.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster