Análise: Hazel Sky

O Brasil tem crescido muito em termos de desenvolvimento de jogos. Os estúdios do país são muitos e a qualidade tem também crescido muito, principalmente dentro da cena indie. Hazel Sky é o mais recente esforço de um estúdio brasileiro. É um jogo de puzzles onde a personagem está a tentar tornar-se mecânica numa ilha desconhecida. A personagem tem de reparar aviões e a tarefa parece ainda mais complicada do que à primeira vista.

Hazel Sky está recheado de bons puzzles e o jogo é completamente desprovido de combate. Um dos primeiros aspetos do que jogo que salta à vista é o seu aspeto visual. Num estilo cartoon muito colorido, Hazel Sky consegue ser impressionante. Nem tudo é perfeito e se o trabalho de cor é estilo é impressionante, podemos ver algumas falhas nas texturas por exemplo. Os jogos indie estão cada vez mais perto dos grandes estúdios, mas em alguns aspetos ainda podemos ver as diferenças de orçamento.

A pequena equipa de desenvolvimento fez um trabalho louvavel, incluindo a iluminação e até alguns efeitos atmosféricos interessantes. Não é um jogo muito longo, contando com cerca de cinco horas de jogo. Este tipo de jogos não devem alongar-me muito e Hazel Sky tem praticamente a duração ideal para que não se torne aborrecido. Além disso, o jogo não é nem demasiado complexo, nem demasiado simples, navegando uma ténue linha entre os dois que é o que realmente torna o jogo divertido.

Hazel Sky é um jogo bastante relaxante, com um ritmo leve que nunca nos pressiona a correr de objetivo em objetivo. Podemos explorar a ilha do jogo, recheada de cavernas e secções aquaticas. A música ajuda a manter a atmosfera pacífica do jogo. Existem áreas que não estão ao mesmo nivel. Algumas animações são um pouco estranhas e os controlos num esquema rato e teclado não é muito bom. A forma como a história é contada também não é muito interessante. Essencialmente o jogo pretende que o jogador leia praticamente toda a história através de textos longos.

A forma como a história é contada faz essencialmente que seja muito difícil criar ligações com as personagens. É difícil que os jogadores se sintam investidos na história desta forma. As vozes que existem também estão longe de perfeitas. É bom que exista algo mais que texto, mas era positivo que as vozes fossem um pouco melhores. É pena que seja assim, já que a história em si é interessante.

Hazel Sky é um jogo interessante, é um jogo bonito com puzzles bem desenhados que acaba por mostrar algumas falhas, nenhuma delas graves. É um jogo que exige um pouco mais do que devia ao jogador para retirar o máximo possível da história, mas se fizerem o esforço irão ser recompensados.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster