Análise: Paper Cut Mansion

Paper Cut Mansion é um dungeon crawler que consegue o difícil feito de ser original em 2022. Não quero com isto dizer que não existam jogos novos, entusiasmantes e originais a serem lançados este ano, simplesmente digo que Paper Cut Mansion é um dos jogos mais originais do ano e que isso é cada vez mais raro. Este não é um jogo original ao ponto de nem conseguirmos categorizar a experiência, mas é original na forma como transforma algo familiar para algo que se sente fresco e novo.

Este é como referi um dungeon crawler com elementos roguelite. Essencialmente o objetivo final é o mesmo de todos os jogos deste género, temos de completar o jogo sem morrer e sempre que isso acontece temos de começar de novo, se possível com um outro novo item ou melhoria e o layout do mapa é também novo. Aqui o cenário ´e uma estranha é misteriosa mansão, da qual a nossa personagem tem de fugir. Os ambientes são confusos e labirínticos, mas também cheios de inimigos.

Até tudo pode parecer dentro do normal e para ser honesto há bem mais a aproximar Paper Cut Mansion de outros jogos do género como Going Under do que a afastá-lo. Mas, Paper Cut Mansion tem muitos elementos próprios na sua jogabilidade. Muitas vezes para resolvermos os puzzles do jogo temos de navegar para outras dimensões dentro da mansão por exemplo. Outro aspeto que para mim foi surpreendente foi a história do jogo. O único jogo com muitos elementos de roguelite que me lembro de ter uma boa história é o fantástico Returnal para PlayStation 5.

Se a jogabilidade é história fazem de Paper Cut Mansion uma agradável surpresa, os visuais do jogo tornam-o memorável. Os visuais são estranhos, mas de uma maneira altamente criativa. Como já devem ter percebido pelo título, o jogo inspira-se muito em papel, mas isso por si só não é suficiente por esta altura, é preciso algo mais e o jogo usa este material de uma forma verdadeiramente original. A história do jogo faz-nos lembrar um pequeno conto de terror e os visuais do jogo completam essa história de forma perfeita, com alguns jump scares à mistura. A apresentação do jogo é também complementada pela componente áudio do jogo, que é essencialmente perfeita.

Paper Cut Mansion é um jogo realmente bom e bonito de se olhar. As suas mecânicas são inovadoras mesmo que familiares ao mesmo tempo. Se gostam de jogos com elementos rogue e um toque de terror, Paper Cut Mansion é exatamente o que estão à procura e um dos melhores jogos indie do ano.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster