Análise: Mario Strikers: Battle League Football

A Nintendo tem-se tornado perita em lançar um certo core de jogos nas suas consolas a cada nova geração. Cada nova consola costuma receber um novo jogo da saga principal de Super Mario, um novo Zelda, um Super Smash Bros, um Mario Tennis, um Mario Golf, um Metroid e entre uma série de outros que certamente me esqueci poderia estar Mário Strikers. Mario Strikers: Battle League Football é o terceira lançamento de uma série que começou na GameCube e apesar não ter marcado presença na Wii U, é uma série com muitos fãs que aguardavam entusiasmada mente um novo jogo.

O futebol é talvez o desporto mais popular do mundo e como tal é quase obrigatório que o desporto faça parte da longa lista de jogos de desporto do nosso canalizador favorito. Obviamente que Mario Strikers: Battle League Football está longe de ser minimamente parecido com uma simulação do desporto rei, mas ninguém estava realmente à espera que isto fosse um FIFA com as personagens da Nintendo certo? Isto não quer dizer que o jogo seja menos divertido e com uma ação frenética.

Os jogos anteriores habituaram-nos a jogabilidade rápida e muitos modos de jogo. Mal começamos a jogar Mario Strikers: Battle League Football somos apresentados a vários modos. O modo jogo rápido permite-nos saltar para a ação imediatamente. Podemos escolher a duração e a dificuldade, assim como se queremos que coisas como itens e movimentos especiais estejam presentes. Se queremos jogar com amigos este é o modo perfeito, sendo rápido de iniciar e possibilitando que se ajustem alguns parâmetros para que todos se sintam à vontade.

Além do modo de jogo rápido temos as taças. Estes modos de torneio podem ser jogados com outros jogadores na mesma consola e colocam a nossa equipa ou o jogador a solo contra outras equipas controladas pela IA. Este modo foi pensado para ser jogado a solo, no entanto poder jogar com outros jogadores contra a IA dá-lhe um certo toque de modo cooperativo. Existe ainda um modo de treino mas aquilo que contém essencialmente a experiência a solo de Mario Strikers: Battle League é o que descrevi até aqui.

Por fim temos o modo Strikers Club, o modo online onde podemos criar o nosso próprio clube. Este é talvez o foco da experiencia, mais uma prova de que cada vez os jogos estão mais focados nas suas componentes online. Podemos criar um clube com os nossos amigos ou estranhos e o modo oferece toda uma série de formas de customizaçao para que o clube pareça nosso. Os equipamentos permitem muita alteração, sendo muito flexíveis nas alterações que nos permitem fazer. Também os estádios são verdadeiras casas para as nossas equipas, sendo possível customizar praticamente tudo o que aí está presente. Apesar deste ser um jogo de futebol não posso negar que foi onde tenha gasto mais tempo. Como donos do clube podemos fazer todas as alterações, mas os outros membros podem também votar sobre o que devia ser escolhido, podendo o dono depois aceitar as recomendações ou ignorar. Cada jogador escolhe também uma personagem e itens que depois fazem parte das escolhas de quem quiser jogar. Mesmo que o jogador não esteja online a sua personagem está disponivel, o que reforça a ideia de que fazemos parte de um clube.

O que ainda não referi foi a jogabilidade. Normalmente deixamos o melhor para o fim e neste caso é realmente isso. As regras do jogo são basicamente as mesmas do futebol real, com a diferença a ser a ausência de árbitro e a existência de uma rede electrificada a volta do campo. Ser lançado contra a rede pode ser devastador, mas tudo o resto segue as regras do futebol normal. Temos que passar a bola, centrar, rematar e desviarmo-nos dos adversários e no final ganha quem marcar mais golos. Mas é fazer tudo isto que referi acima que torna o jogo tão divertido. No início parece que simplesmente somos horríveis no jogo, mas com o tempo começamos a ver como todas as mecânicas do jogo e as possibilidades da jogabilidade se misturam para criar uma dança perfeita. Podemos pegar no jogo e divertir-nos, mas a jogabilidade de Mario Strikers: Battle League tem profundidade suficiente para descarregar horas aqui. Jogar contra o CPU é desafiante, mas é contra outros jogadores que vamos levar o jogo ao extremo. Cada partida que jogamos leva-nos mais longe e este é um jogo que mostra novamente como a Nintendo consegue criar um jogo que é ao mesmo tempo simples e complexo.

Existem cinco estatísticas no jogo e cada personagem tem atribuições de pontos diferentes. Seja qual for a personagem, o total de pontos irá ser sempre 63, o que dá muito equilíbrio ao jogo. Podemos alterar a distribuição com ajuda de itens, mas como usar um item para aumentar uma das estatísticas irá ter um efeito oposto em outra, o total será sempre 63. A única real diferença entre as personagens são as Hyper Strikes. Recolhendo uma esfera brilhante no campo e pressionando a tecla de remate durante algum tempo sem disputas podemos lançar um Hyper Strike, um remate especial que tem a possibilidade de contar como dois golos em vez de um. Podem ver a importância destes remates e o facto de cada personagem ter um diferente faz com que tenhamos de os ver todos pelo menos uma vez. Lançar um destes remates com sucesso não é de todo fácil e apesar de depois de lançado ser bastante poderoso, conseguir o remate não é de todo fácil.

Visualmente o jogo é tambem muito agradável. É um jogo para a Nintendo Switch por isso não podemos ter expetativas exageradas, mas além de Mario Strikers: Battle League Football ser um dos jogos mais bonitos e animados que a Nintendo já lançou, está também recheado de pormenores fenomenais como o público e as repetições dos golos. Tecnicamente é também perfeito, sem abrandamentos ou artefactos visuais. A apresentação também só fica melhor quando juntamos a música à mistura, com muitos remixes dedicados temas clássicos das personagens presentes. O único problema técnico acaba por ser algum lag a jogar online. Isto irá certamente mudar com o tempo, mas tenho que referir esse pormenor.

Mario Strikers: Battle League Football é um jogo fenomenal, sejam vocês fãs de Super Mario ou fãs do desporto rei. É um dos jogos mais divertidos na Nintendo Switch e também um dos que mais tem para oferecer através da sua jogabilidade.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster