Antevisão: Clanfolk

É quase impossível olhar para Clanfolk e não ver uma série de outros jogos. Muitas vezes conseguimos olhar para um jogo e ver as suas influências mas também conseguimos ver uma identidade própria. Em clanfolk nem por isso. Olhamos para Clanfolk e vemos uma espécie de Prison Architect com outra temática e apesar dessa diferença, não podemos para já ver algo aqui que não tenhamos feito antes e pior ainda, na maioria dos casos fizemos antes e melhor.

Clanfolk é um jogo de gestão onde temos que garantir que o nosso pequeno grupo de escoceses não morrem nessas terras frias e perigosas do norte. Infelizmente eles parecem não saber fazer nada sozinhos e portanto temos que gerir tudo, desde onde podem dormir, onde podem ir buscar água, pedras e outras coisas importantes como comida. Se este jogo for realista a ideia que fico dos escoceses é que são capazes de morrer à fome mesmo a dormir debaixo de uma macieira.

Muitos dos jogos deste género incluem coisas que nos ajudam a criar laços com os nossos companheiros pixelizados. Dando-lhes personalidades que nos ajudam a criar pequenas histórias na nossa cabeça para acompanhar as tarefas monótonas que temos para fazer. As personalidades e habilidades parecem menos significativas aqui e Clanfolk rapidamente se torna um jogo onde temos de desbloquear o próximo equipamento, assemelhando-se a um jogo mobile onde o objetivo é clicar onde o jogo nos manda no início e depois esquecermos-nos do que fizemos e andar-mos perdidos. E perdidos acabamos por ficar porque se uma coisa que o jogo tem é complexidade. Existem muitos sistemas a ter em conta e o jogo apesar de tentar não faz um bom trabalho a explicar o que quer que seja. O jogo realmente diz-nos que aqui neste botão podemos fazer isto e aquilo, mas esquece-se de me explicar o que é isto e aquilo e porque é que isto e aquilo é importante.

Essa sensação de confusão é algo que afeta todo o jogo. Parta da causa vem da sua interface de usuário feia, uma confusão de símbolos, com botões iguais, todos revestidos com painéis de madeira. Não é tão pouco intuitivo quanto imemorável. É simplesmente caótica com menus e submenus sem uma organização decente. É muito difícil de ler. Os tutoriais ajudam um pouco, mas como expliquei acima, a sua superficialidade acaba por baralhar bem mais do que ajudar.

Clanfolk encontra-se neste momento em acesso antecipado, mas não é um jogo que veja com um futuro brilhante. Falta-lhe identidade, algo que o torne uma experiência única e não um parente pobre de outros jogos melhores. Acredito que a temática e a complexidade acabe por atrair alguns jogadores, mas pessoalmente vejo em Clanfolk um esforço bem maior do que qualquer recompensa que o jogo ofereça.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster