Análise: The Tenants

The Tenants é um jogo de simulação que esteve bastante tempo em acesso antecipado, atingindo a sua versão final agora. No jogo somos responsáveis por uma série de coisas como design de interiores, agente imobiliario e até senhorio. Temos de mobilizar apartamentos e lidar com os inquilinos, ouvindo as suas queixas e metê-los na rua quando não pagam.

A primeira coisa que fazemos em The Tenants é comprar alguns apartamentos. Para isso o jogo conta com um bom tutorial que nos ensina praticamente tudo o que precisamos de saber. The Tenants é sobretudo um jogo de gestão. Não chega a ser um jogo do género Tycoon como o outro jogo que analisei hoje, mas sofre de alguns dos mesmos males, como uma UI recheada que precisamos de aprender a ler.

The Tenants mistura também alguns elementos de jogos como The Sims. Os elementos do jogo em que podemos a inspiração em The Sims é no design e decoração dos apartamentos. O jogo mistura estas duas mecânicas mais ou menos bem, mas a componente financeira do jogo é o seu principal problema. O conceito do jogo é realmente simples, mas por vezes o jogo complica-se demais sem razão aparente.

Começamos o jogo com o objetivo de guardar dinheiro suficiente para restaurar um apartamento e para isso fazemos outras renovações de apartamentos a outros habitantes da cidade. Além de dinheiro, estes trabalhos permitem-nos ganhar experiência, experiência essa que desbloqueia novos itens de mobiliário que podemos usar nas nossas renovações de interiores. Além de renovações temos também de fazer algumas limpezas antes. Por vezes existe mobília velha nos apartamentos e podemos restaurar a dar-lhe outra vida, nesta mesma casa ou em outra.

Os clientes não fiquem contentes com tudo o que lhes damos, eles têm necessidades que temos de respeitar. Pode ser escolhersimplesmente a categoria certa de mobiliário mas cumprir estes requesitos irá melhorar a nossa pontuação e também o dinheiro que recebemos. Quando os apartamentos são nossos, assim que terminar-mos toda a renovação, incluindo tudo o que é essencial como a instação elétrica por exemplo, podemos colocar o apartamento à venda. Está é a parte de agente imobiliário do jogo e é talvez uma das melhores. Temos de colocar a casa no mercado, programar uma casa aberta e negociar com os interessado.

O jogo podia ficar por aqui, mas há mais em ser um senhorio do que cobrar renda. Assim que os inquilinos se mudam para a nova casa começamos a ter de prestar auxílio sempre que nos pedem. Seja porque avaria alguma coisa ou a casa tem uma infestação, há muita coisa para resolver. Há muito para fazer em The Tenants, com o jogo a ter muitas dimensões de jogabilidade e a UI apesar de saturada por causa disso, consegue ser intuitiva o suficiente.

Em termos de apresentação, como já referi a UI faz o melhor que pode num jogo do género. Havia algum espaço para fazer melhor mas não é um grande problema. Os visuais do jogo também são apelativos, sendo bastante coloridos e brilhantes, mas não impressionam. A música também está longe de memorável, sendo bastante genérico e na vasta maioria das vezes nem dei conta que estava a tocar.

The Tenants é um jogo interessante, especialmente para quem gosta de jogos de gestão mais para o casual. Há muito para fazer e além de tempos de carregamento um pouco longos, o jogo não sofre de grandes problemas. Além de muito para fazer, há muito conteúdo para desbloquear e durante as longas horas que podem gastar no jogo, poucas serão de frustração. Se gostam do género, The Tenants pode ser uma boa proposta.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

ComboCaster